Como prevenir dores e lesões na prática de atividade física

A prática de atividade física é indicada para prevenção e tratamento de várias doenças, além de ser associada ao bem-estar. Entretanto, os seus efeitos colaterais podem ser dores ou lesões musculoesqueléticas que, para serem evitados, é fundamental a identificação de fatores relacionados a desequilibro de força , mobilidade e estabilidade.

Assim, a lesão esportiva depende de inúmeros fatores relacionados com a capacidade do atleta (amador ou profissional), ou do tecido biológico, de suportar a energia mecânica imposta durante a prática esportiva. Quando a quantidade ou a taxa de energia mecânica transferida ao corpo ultrapassa o limiar de adaptação do tecido, a lesão poderá ocorrer como resultado do desequilíbrio na relação entre capacidade do indivíduo para dissipar, gerar e transferir energia mecânica e a quantidade de estresse imposta ao SME (sistema musculoesquelético), durante o desempenho de atividades funcionais (demanda).

 

 

Para adequar a capacidade ao desejo de fazer determinada atividade física (demanda ) é recomendado a avaliação pelo fisioterapeuta esportivo. Esse profissional é capacitado para identificar os fatores que necessitam ser trabalhados para evitar sobrecarga tecidual e também aguentar a demanda desejada. Através de testes quantitativos e qualitativos, o fisioterapeuta esportivo irá avaliar o perfil de risco do paciente e propor intervenções preventivas.

Hoje temos ferramentas que nos ajudam e facilitam nesse diagnóstico funcional. O PHAST é uma delas: um aplicativo de avaliação que permite identificar o perfil funcional do paciente, possibilitando, portanto, a comparação com outros atletas e até mesmo com dados científicos.

O melhor remédio é prevenir, e para isso procure um fisioterapeuta esportivo que faça uma avaliação do perfil de risco para ser mais efetivo.