Evite dores e lesões com a liberação miofascial

A técnica de liberação miofascial (mio = músculo + fáscia = tecido conectivo)  tem sido cada vez mais usada pelos praticantes de atividade física e indivíduos ativos, pois contribui para a melhora do desempenho, recuperação muscular e prevenção de lesões. A fáscia é um tecido conjuntivo de sustentação, que envolve todos os órgãos e músculos do corpo humano, constituindo um sistema de transmissão de força tensional. Atuando sobre ela, as restrições do tecido são liberadas, tornando-o mais saudável e com mais movimento.

Prática esportiva sem supervisão, treinos intensos, postura inadequada e estresse podem comprometer a fáscia, favorecendo o acúmulo de toxinas, aumento da tensão local e referida e diminuição do deslizamento das fáscias. Desta forma, aumenta-se a probabilidade do aparecimento de lesões, comprometendo a coordenação, flexibilidade e força muscular.

A técnica pode ser feita pelas mãos do terapeuta, por instrumentos ou por materiais específicos, como bolinhas e rolos. Pode ser aplicada antes ou depois de treinos ou competições ou dia exaustivo de trabalho, por profissionais da saúde ou pelo próprio indivíduo.

Deve ser feita de forma bem lenta, com pressão na região. Em nódulos de tensão mais ativos, áreas mais dolorosas, é ideal que permaneça mais tempo na região, para liberar adequadamente. Sempre que a demanda física é mais intensa, é uma técnica muito eficiente para otimizar a recuperação e alinhamento do corpo para receber novas cargas físicas e emocionais.

 

 

 

BENEFÍCIOS DA LIBERAÇÃO MIOFASCIAL

 

Antes do treino

  • Aumenta a mobilidade articular
  • Favorece a execução dos movimentos
  • Diminui a sobrecarga e tensão
  • Libera e ativa os músculos
  • Prepara a musculatura para os exercícios

 

Após o treino

  • Relaxa a musculatura
  • Ajuda na liberação do ácido lático
  • Diminui as tensões musculares
  • Auxilia a recuperação muscular
  • Previne lesões

Além dos profissionais de saúde e bem-estar (personal trainers, fisioterapeutas, massoterapeutas, quiropraxistas), o próprio atleta pode realizar suas manobras. Mas lembre-se sempre que a atividade, essencial para manutenção da saúde, deve ser orientada por especialista.

 

 

Contra-indicações

Pessoas com feridas abertas, infecções, hematomas, deficiência circulatória aguda,  hipersensibilidade da pele, fraturas em fase inicial, lesões musculares ou ósseas agudas, indivíduos que fazem uso de medicamentos anticoagulantes e/ou estão no início da gestação, não devem se submeter à liberação miofascial.