Lesão ou dor muscular: saiba identificar para não comprometer a performance

Dores no corpo são comuns na vida esportiva, mas saber identificar os sintomas faz toda a diferença para a melhoria do seu desempenho. Na maioria das vezes, a dor é o resultado de processos inflamatórios e, dependendo da intensidade e localização, podem representar mais do que um simples incômodo muscular.

A lesão ocorre quando um músculo ou tendão é submetido à uma demanda maior do que a sua capacidade musculoesquelética de absorver e transmitir energia ao longo da cadeia cinética.


Quando é dor muscular?

Ao iniciar uma atividade física nova, ou aumentar a intensidade dos treinos (ajuste das séries, intensidade e a velocidade das sessões de treinamento), seu corpo reage a essas mudanças, o que é conhecido como dor muscular tardia (DMT). Normalmente iniciam 12 a 24 horas após os exercícios e duram, em média, 48 horas. É uma adaptação do corpo ao novo estímulo. A dor é difusa, atingindo mais de um grupo muscular, e bilateral.

Caso isso aconteça com você, procure descansar, e/ou fazer outros tipos de exercícios que trabalhem grupos musculares não afetados. Atividades na piscina também são interessantes para o alívio da dor.  Para otimizar a recuperação, podem ser realizadas massagens com cremes contendo propriedades anti-inflamatórias; liberação miofascial manual, instrumental (IASTM) ou com o uso de bolinhas e rolos específicos; crioterapia por imersão; uso de recursos tecnológicos como o Game Ready (crioterapia + compressão) e botas pneumáticas de pulso sequencial; e roupas compressivas.


Quando é lesão?

Se após as 48-72 horas a dor não melhorar, pode significar uma lesão, principalmente se o incômodo afetar um local específico. A lesão compromete a capacidade funcional do indivíduo, e pode ser causada por posturas inadequadas, erros de treinamentos inadequados ou sobrecarga excessiva.

Nesse caso, o melhor a fazer é interromper as atividades físicas e procurar um profissional da saúde para orientação.

 

 

Previna-se

Acredite em seu potencial, mantenha sempre o foco, mas lembre-se que o corpo humano tem limites.  Dicas importantes:

  • Faça sempre a atividade física supervisionada por um profissional qualificado;
  • Aumente gradualmente a carga de treinamento;
  • Mantenha a periodicidade e regularidade dos exercícios;
  • Faça a autoliberação miofascial antes e após as sessões de treinamento;
  • Utilize recursos para otimizar a sua recuperação pós-exercício e te deixar preparado para a próxima sessão;
  • Fique atento às lesões e não deixe os sintomas aumentarem. Uma pequena dor pode evoluir para uma lesão e comprometer sua performance.